(Última alteração em: 29 de Maio de 2020)

No dia 17 de dezembro de 2019, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) a Resolução nº 5862 da ANTT, que entre outras medidas, estipula o CIOT Para Todos.

Embora possa ser deduzido o intuito do projeto pelo nome da iniciativa, há algumas especificações que precisa ser explanadas de forma mais compreensível.

Por este motivo, fizemos este guia a fim de sanar possíveis dúvidas que possam surgir, tão logo este projeto entre definitivamente em ação. Continue a leitura!

O que determina o CIOT Para Todos?

Antes da Resolução, gerar o Código Identificador de Operação de transporte (CIOT) só era obrigatório quando o transportador ou o embarcador contratavam motorista autônomo de carga ou transportadora e cooperativas que contavam com até três veículos em sua frota, cadastrados na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Agora, toda e qualquer contratação de operação de transporte rodoviário de carga deve obter o CIOT, e este código só pode ser conseguido por meio da validação da operação, através das Instituições de Pagamento Eletrônico de Frete (IPEFs) no portal da ANTT.

Após o cadastramento da operação de transporte, seja via online ou diretamente pelo seu software de gestão de de transportes — ainda que não esteja disponível para sistemas de gestão, explicaremos isso logo mais nesse mesmo post —, o código numérico obtido deve ser informado no manifesto eletrônico, para que o registro do transporte seja concluído por meio da validação deste documento.

Quando o CIOT Para Todos entra em vigor?

Pela resolução nº 5862, o CIOT Para Todos entrou em vigor no dia 16 de janeiro de 2020. Mas, de acordo com a Resolução nº 5873 do dia 10 de março de 2020 — que altera a resolução original publicada no dia 17 de dezembro de 2019 — as IPEFs tem um prazo de 90 dias para se adequar, contados a partir do dia 16 de janeiro. Isso significa que somente a partir do dia 15 de abril de 2020 é que o CIOT Para Todos entrará em produção definitivamente.

Quem é responsável por gerar o CIOT?

Em regra, quem emite o CIOT é o contratante do serviço de transporte. No entanto, de acordo com o que foi estipulado na Resolução, o contratante poderá encarregar pelo cadastramento da operação de transporte o próprio transportador contratado.

Quais informações são necessárias para gerar o CIOT?

De acordo com a Resolução, para que o CIOT seja gerado, é necessário informar os seguintes dados:

  • o RNTRC e o CPF ou CNPJ do contratado e, se existir, do subcontratado;
  • o nome, a razão ou denominação social, o CPF ou CNPJ, e o endereço do contratante e do destinatário da carga;
  • o nome, a razão ou denominação social, o CPF ou CNPJ, e o endereço do subcontratante e do consignatário da carga, se existirem;
  • os endereços de origem e de destino da carga, com a distância entre esses dois pontos;
  • o tipo e a quantidade da carga;
  • valor do frete pago ao contratado e, se existir, ao subcontratado, com a indicação da forma de pagamento e do responsável pela sua liquidação;
  • valor do piso mínimo de frete aplicável à Operação de Transporte;
  • valor do Vale-Pedágio obrigatório desde a origem até o destino, se aplicável;
  • as placas dos veículos que serão utilizados na Operação de Transporte;
  • a data de início e término da Operação de Transporte; e
  • dados da Instituição, número da agência e da conta onde foi ou será creditado o pagamento do frete.

Frete Mínimo

Outro ponto de destaque desta Resolução, conforme citado no tópico anterior, é a necessidade de adequação aos valores mínimos de frete, estipulados em tabela e que foram aplicados em maio de 2018, após sanção do então presidente Michel Temer, como uma das medidas para pôr fim à Greve dos Caminhoneiros.

Com esta medida, o valor mínimo de frete deverá ser aplicado obrigatoriamente, pois caso contrário, o contratante de frete poderá ter o CIOT rejeitado ou ainda ser penalizado por meio de multas.

Multas por descumprimento do CIOT Para Todos

Como é de se esperar, em qualquer nova lei, o não cumprimento das obrigatoriedades pode ocasionar multas, e nesse caso não seria diferente. 

As multas podem por descumprimento ou tentativa de burlar a lei, podem significar um prejuízo exorbitante para a sua empresa. Confira alguns dos principais motivos de multa, e os seus valores:

  • Não gerar o CIOT: multa de R$ 5.000,00;
  • Não informar o CIOT no MDF-e, ainda que o mesmo tenha sido gerado: multa de R$ 550,00.
  • Efetuar o pagamento do frete, total ou parcial, de forma diversa da prevista na Resolução: 50% do valor total de cada frete irregular, sendo o valor mínimo de R$ 550,00 e máximo de R$ 10.500,00;
  • Não respeitar a escolha do meio de pagamento feita pelo transportador: 50% do valor total de cada frete irregular, sendo o valor mínimo de R$ 550,00 e máximo de R$10.500,00. Isso significa que o transportador tem o direito de escolher como quer receber, se é pela forma eletrônica ou crédito em conta;
  • Gerar CIOT com dados divergentes daqueles da efetiva contratação do frete, com intuito de burlar a fiscalização: multa de 100% do valor do piso mínimo de frete, mínimo de R$ 550,00 e máximo de R$ 10.500,00.

Os outros motivos de multa e seus valores estão discriminados na Resolução, mas por aqui já da pra se ter uma ideia dos riscos que a empresa corre a optar em não gerar o CIOT conforme determinam as novas regras.

Onde o CIOT deve ser informado?

Para que a operação se concretize, é necessário que o CIOT esteja no manifesto eletrônico de documentos fiscais (MDF-e). Mas é preciso ficar atento! 

Caso não seja informado o código, a validação do MDF-e ocorrerá normalmente, e conforme já te contamos acima, a sua empresa pode ser multada por não informar o CIOT no manifesto eletrônico, mesmo se ele já tiver sido gerado, e por algum descuido não tiver sido informado.

Por este motivo, vale uma atenção redobrada na hora de gerar o MDF-e e liberar os veículos para dar início ao transporte rodoviário de cargas.

Diferença entre CIOT e PEF

Existem algumas dúvidas neste ramo, a respeito do CIOT e do Pagamento de Frete Eletrônico (PEF), e isso é muito comum, tendo em vista que ambas as operações estão diretamente ligadas. A seguir, vamos distinguir estas operações.

Powered by Rock Convert

O que é CIOT

Sigla de Código Identificador de Operação de Transporte, o CIOT é é obtido quando a operação de transporte é cadastrada e validada pela ANTT. 

Como explicamos no decorrer deste post, antes ele era obrigatório apenas quando havia contratação de TAC ou TAC-equiparado. No entanto, a partir da vigência da Resolução nº 5862 da ANTT, ele passou a ser obrigatório na contratação de qualquer tipo de transporte.

Ou seja, o CIOT é o número de comprovação de que a operação de transporte foi homologada e devidamente autorizada pelo órgão competente, neste caso, a ANTT.

O que é PEF

O Pagamento Eletrônico de Frete, como o próprio nome diz, é a forma designada pela ANTT para efetuar o pagamento do frete ao transportador, de forma eletrônica, garantindo assim a transparência na operação.

O PEF veio como alternativa à Carta Frete, um método de pagamento oneroso que, além de não realizar a correta contribuição fiscal do motorista, tornava-o refém de preços abusivos em postos de combustíveis, para poder fazer a troca da Carta Frete por abastecimento e dinheiro.

Com a chegada do PEF, a Carta Frete se tornou um procedimento ilegal, e a utilização da mesma pode resultar em multas pesadas para o contratante do serviço.

É importante ressaltar que o PEF pode ser autorizado somente por Administradoras de Meio Eletrônico de Pagamento de Frete, homologadas pela ANTT, e o procedimento pode ser feito pelo software de gestão de transportes, desde que haja integração entre este e a administradora.

O pagamento realizado via PEF pode ocorrer de duas formas:

  • via depósito em conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento, cujo o favorecido seja o contratado ou subcontratado;
  • por cartão fornecido por um das empresas de pagamento eletrônico de frete, homologada pela ANTT.

Vale lembrar que a forma de pagamento do serviço para TAC e TAC equiparado ainda deve ser feita por meio de PEF.

A implantação do CIOT Para Todos, não aplica a mesma regra de pagamento para os demais transportadores contratados, por este motivo, é importante diferenciar o CIOT do PEF.

O CIOT Para Todos será gratuito?

De acordo com a Resolução, a geração do CIOT será feita de forma gratuita e online, no entanto, a única maneira de fazer isso é por intermédio das IPEFs.

Essas empresas disponibilizarão um painel online, onde o contratante deverá preencher todas as informações obrigatórias que citamos anteriormente, e assim obter o CIOT.

Todavia, esta opção se torna inviável para aqueles que contam com uma alta demanda de transporte. Assim sendo, uma alternativa seria contratar o serviço de Pagamento Eletrônico de Frete que já é ofertado por diversas empresas especializadas, e integrar com o software de gestão utilizado, ou ainda optar por um sistema de gestão de transporte, que ofereça integração com essas administradoras de pagamento eletrônico de frete.

Há também a possibilidade de integrar a ferramenta diretamente com a ANTT, todavia, esta integração será disponibilizada somente após 240 dias do início da vigência desta resolução, ou seja, somente a partir de setembro de 2020.

Explicando a Resolução nº 5862

No dia 28 de janeiro, nós publicamos um vídeo com explicações bem detalhadas sobre o CIOT Para Todos. Para assistir, basta dar o play abaixo!

Diante de todas estas informações, alertamos mais uma vez sobre a necessidade de adequação ao CIOT Para Todos, pois fiscalizações serão intensificadas para garantir que haja adesão às novas regras.

Se você quiser ficar por dentro dessa e de mais notícias do ramo, assine a nossa newsletter ou nos siga nas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e YouTube.

Quer saber sobre mais assuntos como esse? Nos siga nas redes sociais!

8 Comentários

  1. Farida Piva disse:

    Tenho uma Transportadora e atendo um Cliente com Frota Propria e Motorista registrados pela CLT, preciso emitir o CIOT?

    • Johnny Moleta disse:

      Boa tarde, Farida! Tudo bem?

      Pelo nosso entendimento da resolução, sim. Como seria um transporte contratado, haveria a necessidade do CIOT. Ele seria de obrigação do contratante do transporte, mas a responsabilidade pode ser terceirizada para sua transportadora.

      Recomendo conversar também com sua contabilidade para agir sempre 100% conforme a legislação, ok? 😉

  2. Welington Gasparini disse:

    O motorista autônomo poderá consultar o os CIOTs emitidos no CPF dele mensalmente?

  3. Wellington Menelli disse:

    Para o produtor rural que tem caminhao em seu nome e faz o transporte até o destino?
    Portanto nao existe a contratacao de frete, a mercadoria é vendida com preco no destino CIF.
    Existe exigências de CIOT?

    • Johnny Moleta disse:

      Bom dia, Wellington, tudo bem?

      Pelo nosso entendimento, o CIOT precisa ser gerado apenas quando há a contratação da operação de transporte rodoviário de carga, ou seja, quando a empresa é contratada para fazer o frete de algo. Se o produtor está transportando o próprio produto acredito que não haja a necessidade de emissão do CIOT.

      Como falei, é o nosso entendimento sobre o tema, o ideal é conversar com sua contabilidade para ver qual a recomendação, ok? 🙂

  4. André Luis Caetano disse:

    Não ficou bem claro a questão da aplicabilidade do CIOT, ele está obrigado para “todas” empresa que contratam o frete de transportador autônomo ou somente para as empresas de transportes que realizam a contratação do transportador autônomo?

    • Johnny Moleta disse:

      Boa tarde, André! Tudo bem?

      Pelo nosso entendimento da resolução, o CIOT é obrigatório para todas as operações de transporte contratado. As exceções seriam apenas em casos onde o veículo é da própria empresa, o motorista é registrado via CLT e ainda, o transporte é realizado para a carga própria e no transporte de carga fracionada. No restante, entendemos que todo transporte contratado deverá ter seu CIOT gerado.

      Espero ter ajudado! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.