(Last Updated On: 12 de Maio de 2020)

No dia 27 de abril, iniciamos uma semana de lives com temas muito pertinentes para o setor de transporte rodoviário de cargas. O primeiro destes temas foi: Ações Comitê de Crise, que foi apresentada pelos nossos clientes e parceiros Luiz Gustavo, da Rodonery, e o Henrique, da Diavanti, além é claro do nosso anfitrião, Fabricio Beltrame, Diretor de Produtos da Bsoft.

Para aqueles que enfrentam um cenário de recessão econômica, e precisam lidar com a pandemia mundial reduzindo a exposição de seus colaboradores e clientes, além de si mesmo, surge a necessidade da criação de um comitê de crise, para gerenciar os riscos e encontrar as alternativas mais viáveis e menos perigosas para continuar as rotinas da empresa.

Nesse sentido, nossos convidados deram dicas importantíssimas sobre como criar o comitê de crise, e também quem deve fazer parte dele. Você pode assistir a nossa transmissão clicando no vídeo abaixo.

 

Algumas dúvidas foram respondidas durante a própria live, e conforme prometemos, aquelas que não puderam ser respondidas no dia estão disponíveis aqui, neste post. Continue com a leitura para esclarecer as principais dúvidas sobre Comitê de Crise.

Qual é o número ideal de pessoas para compor o comitê de crise?

Não há uma regra que determine o número correto de pessoas para compor o comitê de crise, que pode variar de acordo com o tamanho do seu negócio. O ideal é que o comitê seja composto por mais de uma pessoa, para que seja possível analisar problemas e soluções através de diferentes pontos de vista.

Com o isolamento social, aumentou o fluxo de transportes devido a maior parte das vendas estarem sendo feitas via Internet?

É possível afirmar o aumento significativo na venda de determinados produtos, como bens de consumo, enquanto outros, os considerados produtos não essenciais, não tiveram o mesmo aumento.

Entretanto, o e-commerce é atendido por uma pequena parcela das transportadoras. A maior parte das empresas de transporte presta serviço para indústrias e comércio em geral, e por isso tiveram queda em suas operações.

Estão tomando o cuidado do “não contato” na hora da entrega? Novos procedimentos na hora de obter o comprovante de Entrega? ​Aqui não estamos pegando mais assinatura, o próprio motorista anota o nome e documento do recebedor.

Para a grande parte das empresas de transporte, o canhoto assinado ainda não é totalmente substituível. A maioria dos clientes ficam com uma via do documento, mas a assinatura é uma comprovação jurídica essencial. 

Uma opção é o cliente assinar a sua via e enviar uma foto da assinatura ou o documento digitalizado, para que seja armazenado e utilizado como prova de que a mercadoria foi recebido pelo destinatário.

Apenas a assinatura do motorista não é o válida para comprovar a entrega legalmente. É necessário também um adendo no contrato, deixando claro que apenas a assinatura do motorista será suficiente para comprovar a entrega.

Nesse quesito de baixar o valor do frete, os valores abaixo da tabela não estão sendo fiscalizados? Seguindo as leis fiscais, não é correto realizar este tipo de atividade. Sendo assim, como realizar esse tipo de redução do frete?

A Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas determina o valor mínimo do frete, com base no tipo da carga transportada. Este valor deve ser respeitado, mesmo nesta fase de recessão, e continua sendo fiscalizado. 

É importante que esteja atento para não praticar valores abaixo da tabela e acabar infringindo a Política Nacional de Pisos Mínimos, estabelecida por lei.

Com o HomeOffice de hoje, vocês creem que isto acabará sendo uma ferramenta mais utilizada num futuro sem vírus? Isso elevaria o nível do Brasil no que diz respeito ao trabalho flexível?

Sim, acreditamos que vamos entrar em uma nova era, pois o distanciamento social está forçando a adaptação às novas ferramentas de trabalho.

Muitas empresas começarão a adotar o home office, principalmente em departamentos que não precisam estar todos os dias dentro da empresa. Por exemplo, o marketing e a contabilidade são setores que podem trabalhar em casa e visitar a empresa apenas em determinados dias da semana.

Com o uso da tecnologia há também uma redução de custos e otimização do tempo. As reuniões, por exemplo, já passaram a ser realizadas através de videoconferência, mantendo o mesmo benefício das atividades presenciais, com redução de custos e tempo de deslocamento.

As empresas que conseguirem se adaptar a estas tecnologias em home office terão um diferencial competitivo para os negócios.

Temos uma perspectiva de melhora no setor?

Essa é uma questão muito incerta para todos os setores da economia, e há divergência inclusive entre opiniões de especialistas. A esperança é que tenhamos uma retomada rápida na economia, mas não há como afirmar que isso vai acontecer. Por enquanto é necessário analisar resultados a cada dia e tomar as melhores decisões para a sua empresa e, por isso, é importante o comitê de crises, para debater as melhores soluções para o seu negócio.

É importante acreditar na capacidade de se reinventar e se recuperar.  Esta recessão não será duradoura, e o logo o mercado começará a produzir tudo o que não foi produzido neste período. Diante disso, esperamos uma retomada rápida a partir do próximo ano. 

A Bsoft vai disponibilizar alguma ferramenta que possa fazer a ponte para compartilhamento de rotas para que possamos contactar com outros parceiros?

Estamos desenvolvendo a integração com plataformas online para divulgação de serviços do setor de transporte rodoviário de cargas. Em breve estará disponível.

 

Quer ficar por dentro de mais temas importantes no transporte de cargas? Assine a nossa newsletter e receba as notícias mais importantes mensalmente.

Quer saber sobre mais assuntos como esse? Nos siga nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.